sábado, março 31, 2007


A questão não é se todo mundo faria o mesmo... a questão é se vale a pena destruir a própria imagem e de todas as brasileiras no exterior por um punhado de libras.
Notas do Autor:
Essa polêmica foto em que o prìncipe Willian aparece com a mão sob o seio de uma brasileira, que estampou a edição do tablóide britânico “The Sun” desta terça-feira, foi o assunto a semana inteira e reacendeu várias questões em relação a imagem da mulher brasileira no mundo.

quinta-feira, março 29, 2007

O Milagre da Mão

Quanto tempo leva para o seu dedão do pé mexer sob o seu comando? Quanto esforço é necessário para que você possa mover o seu braço e sentir a brisa tocando os seus dedos como se os acariciasse? Movimentos simples, ações rotineiras, milagres diários que por serem tão comuns e banais, não ocupamos o nosso tempo para admirar o quanto é maravilhoso esse corpo humano e o quanto é perfeito cada função, cada movimento, cada gesto.

Aline mexeu a mão. Um pequeno passo para a humanidade, um passo gigantesco em sua recuperação. Essa moça de 21anos perdeu os movimentos do corpo ao caminhar pela floresta densa e escura de um tumor. Faz quase 01 ano que ela trocou a faculdade e as baladas por salas de hospitais, tubos de oxigênio e encontros com fisioterapeutas. Faz quase 12 meses que tudo em sua vida foi mudado, sua rotina, seus sonhos, seus desejos de menina-mulher se transformaram em um mundo tetraplégico. Então, quando todos achavam que o seu estado era “permanecer”, ela mudou para “estar”. Sua mão mexeu e ela está voltando pouco a pouco a sentir partes do seu corpo.

Milagre??? Gritaram alguns, outros disseram “eu sabia que ela ia se recuperar!” , mas ninguém sabia, ninguém imaginava, porque não gostamos de imaginar, não gostamos de pensar que nesse momento enquanto envenenamos o nosso corpo com substâncias químicas, com uma alimentação descuidada, há Alines por todo o mundo, lutando para mover o dedão do pé; para cruzar o enorme abismo que separa uma mão imóvel do rosto de alguém que se ama.

Quanto tempo leva para que um comando mental transforme seu sonho em realidade? Quanto esforço para chegar no milésimo gol? A Aline levou 01 ano para mover sua mão na direção do rosto da sua mãe querida. 12 meses para novamente sentir frio ou calor em suas mãos, ou simplesmente tocar o vento, o sol da manhã e provar para todos que um milagre para acontecer não depende apenas da ajuda divina, e sim principalmente da força de vontade de lutar pelo que se quer alcançar.

Frank

segunda-feira, março 26, 2007

O Parque e a Noite

O dia se despe, a noite se mostra. Troco 20 minutos de ônibus por uma hora de caminhada e entro no Parque do Ibirapuera. Nunca tinha visto o parque coberto pela
noite e o temor vai dando lugar a uma sensação de tranqüilidade, afinal moro em São Paulo e o medo de ser roubado é parte da rotina. Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso evitaria entrar no parque à noite, penso em voz alta, mas logo mudo de idéia, ao ver centenas de pessoas correndo, exercitando-se ou simplesmente passeando. Respiro fundo, engulo minhas idéias pré-concebidas e abraço a liberdade de caminhar livremente quando poderia estar dentro de um ônibus lotado, tentando chegar na Paulista.

A cada passo, vou relaxando e tirando a minha armadura. Respiro o verde que entra por minhas narinas, por meus chacras e me enche de vida. O céu retribui a minha entrega com estrelas e uma lua que parece sorrir pra mim.

Além do parque, ônibus lotados carregam gente com raiva; carros com motoristas neuróticos duelam com motoboys kamikases - o stress os acompanha e eu fico pensando no preço alto que pagamos por morar na cidade grande, mas esses pensamentos desaparecem a medida que o parque vai me envolvendo cada vez mais.

Sinto como se a natureza fosse um portal que pouco a pouco me conduz para longe do mundo das coisas temporárias, ali, caminhando e ouvindo o som da noite ecoando por entre as arvores, percebo que precisamos de muito pouco para sermos felizes.

Sigo caminhando e penso no quanto perdemos tempo correndo de um lado pro outro, quando basta um pequeno momento de quietude para nos sentirmos bem. Parece algo simples, mas na correria do dia a dia, só percebemos o milagre de termos um corpo e uma vida saudável, depois de uma temporada na cama ou num hospital. Não precisamos ficar doentes, para perceber o quanto é maravilhoso, estar com o pulmão e a garganta limpa, o quanto é incrível, caminhar, sentir cada parte do corpo funcionando bem. Parece auto-ajuda, palavrinhas de calendário Seicho-no-ie , mas estarmos lúcidos da vida que corre por nossas veias, torna a cidade grande menos sufocante, deixa os problemas com cara de coisa ultrapassada.

A felicidade se esconde mesmo nas pequenas coisas e a encontrei caminhando no parque a noite, sem a menor pressa de chegar onde devia estar.


Frank

segunda-feira, março 12, 2007

Carta ao Senhor Prefeito de São Paulo


Senhor Prefeito

Obrigado pelo Fura-fila, quero dizer, Expresso Tiradentes. Eu sei que milhares de pessoas ligarão para reclamar dessa obra magnífica, mas não desanime, Sr Prefeito, são todos uns pessimistas ou como diria nosso querido Presidente, uns “aloprados”, pois o Expresso Tiradentes e o Terminal Sacomã, recentemente inaugurado, vieram para ajudar e melhorar a vida de milhares de passageiros.

A linha de ônibus Vila Arapuá – Santa cruz que me levava e outros tantos para o metrô não existe mais, mas isso não é um problema, pelo contrário, agora eu tenho a oportunidade de conhecer centenas de pessoas na fila do fura-fila, quero dizer, Expresso Tiradentes. Esse contato direto no terminal para pegar um outro ônibus extra, tem sido ideal para aumentar meu “networking” e terminar de ler aqueles tantos livros que nunca tive tempo de terminar. Não importa que o meu trajeto para o metrô tenha aumentado em 30 minutos, afinal eu queria mesmo uma desculpa para acordar mais cedo (e um pouco de fila não faz mal para ninguém), além do fato que mudar a rota de centenas de itinerários sem consultar a população não é motivo de indignação e reclamação – esse povo ingrato não sabe nada sobre transportes para a massa.

Não se preocupe com as manifestações e cartas, o Senhor sabe, isso passa. Mais alguns dias e esse povo ignorante vai ter esquecido desse pequeno inconveniente que se tornou à jornada para o trabalho que antes, se não era tão confortável, era mais rápida. Mas, aqui entre eu e o Senhor, foi uma idéia mesmo de gênio. Obrigar a população a usar o terminal foi a melhor maneira de justificar o dinheiro que foi e ainda será gasto nesse terminal para uma linha de ônibus que nem teria tanta gente assim, se milhares de pessoas não precisassem, contra a vontade, pegar um segundo ônibus para chegar ao destino que antes era preciso apenas uma condução. Genial, Senhor Prefeito e muito obrigado.


Frank Oliveira

Ex- passageiro da extinta linha Vila Arapuá – Metrô Santa Cruz

sexta-feira, março 09, 2007

A Mulher que Odiava Flores


Ela odiava ganhar rosas ou flores, tinha deixado bem claro para o namorado, para a família, para os amigos: Nem pensem em me dar algo que deveria estar em um jardim ou nos campos.

Ela era mesmo diferente. Não Era feminista, mas odiava qualquer coisa que a reduzisse a uma menina delicada, um ser frágil ou alguém que precisasse ser protegida. Ela sabia de cuidar. Sempre se virou muito bem em um mundo dominado por homens. Quando pequena, jogava futebol com a meninada, enquanto as suas amiguinhas brincavam de boneca.

Era feminina, mas acreditava que uma mulher deveria ter algo a mais pra mostrar que uma bunda, um par de peitos siliconizados ou um rostinho clonado de uma modelo de capa de revista.

No dia Internacional das Mulheres faltou ao trabalho. Não queria passar pela humilhação de agradecer a florzinha mixuruca que o chefe lhe daria pelo “dia especial” mesmo tendo a desprezado o ano inteiro.

No fim da tarde, enquanto centenas de mulheres saiam de seus escritórios com suas rosas, ela empunhava uma bandeira e parava a Avenida Paulista, junto com milhares de outras pessoas, em protesto contra a presença do presidente americano George W. Bush no Brasil.

A caminho de casa, já não agüentava olhar tantas outras mulheres carregando seus “presentinhos”. Queria gritar fugir, acordar num mundo onde as mulheres fossem menos fúteis, mas ela precisava ir pra casa e o metrô e aquela multidão de “Amélias” não iriam impedi-la de chegar em casa.

Olhando essas mulheres carregando as suas rosas com tanto orgulho, ela tentou se lembrar de onde vinha a sua “repulsa” por flores e rosas, mas não conseguiu se lembrar.

- Afinal o que havia de errado com as flores? – ela pensou e algo começou a perturbá-la profundamente. Lá no fundo, enterrado sob camadas de opiniões, discursos superficiais e atitudes defensivas, estava um desejo incontrolável de ser como as outras. Ela era a única mulher no vagão que não carregava uma rosa, que não tinha sido parabenizada e isso a estava incomodando profundamente.

- Ridículo – disse – Isso é pura hipocrisia! Todo dia é dias das Mulheres!

Chegou em casa arrasada, triste e solitária. Pensou no elevador em ligar para o namorado, mas recordou-se que ela mesmo havia ligado pra ele e pedido para não ser tratada como uma “mulher” só por causa do 08 de Março.

Então, ela abriu a porta, acendeu a luz e notou que em cima da mesa no corredor, entre o Buda dourado que comprara no Nepal e o espelho, havia uma rosa e um bilhete:

“Eu sei que você odeia
Mas não pude evitar
Feliz Dia das Mulheres!”“

Ela chorou, quando a máscara caiu e o espelho refletiu o rosto feliz de uma mulher.

quinta-feira, março 08, 2007

Feliz Dia das Mulheres!!!!


Feliz dia das Mulheres para todas as mulheres desse planeta.

É Verdade! Não somos nada sem vocês!!!

Obrigado, mães, avós, filhas, amigas, esposas, namoradas, noivas e amantes por todo o amor que vocês emanam em direção a esses meninos brincando de homens!!!

Essa é uma pequena homenagem a todas essas mulheres que arriscam a vida para nos salvarem dos riscos do mundo e as vezes até de nós mesmos.

Frank

Notas: Na foto de Tiago Brandão, mãe salva filho que se afogava. Ela também não sabia nadar.

Brilha para Mim

A Praia tinha areia branquinha e o mar das águas tranquilas se encontrava com o rio sem pressa. Entre a praia e as areias da duna, vi essa moça surgindo, como se fosse uma miragem, caminhando bem devagarinho.

Ela me olha e sorri, ao mesmo tempo que estende a canga na praia e deita na areia, como se oferecesse seu corpo para o sol e para os meus olhos tocarem. O sol, invejoso, bronzeia a sua pele, mas não alcança o seu coração que brilha só pra mim.

Ela me ama, posso sentir pela maneira como ela emana esse amor pra mim, de um jeito que só nós dois compreendemos.

Ela entá sorri e nada diz, mas sei o que ela quer dizer com o olhar e o que o seu sorriso quase consegue expressar : "menino eu amo você!!!"

quarta-feira, março 07, 2007

Para Ficar

Raios de olhares cruzam o espaço entre nossos rostos. As bocas se movem, o som ecoa, mas é o coração que se comunica e a cada batida, mais aumenta a certeza: ela é a minha menina.

Ela veio pra ficar.

Ela é maior que um sonho e não cabe na realidade, por isso se encaixa perfeitamente no meu peito, onde sinto o seu corpo mesmo quando não a vejo e durmo abraçadinho com ela, mesmo quando estou sozinho no leito.

O que dizer para a minha menina que a faça perceber que ela está tatuada em todo o meu ser, de tal forma que respiro seus beijos, alimento-me com os seus toques e aqui tão longe, estou quase sufocando de falta do seu ar.

Contudo, vou aguentar até a minha saudade matar e quando finalmente nos encontrarmos, vou me perder em seus carinhos e fazê-la repetir sem parar - Menino, eu vim para ficar!!!

Frank

15 de Fevereiro
Londres

terça-feira, março 06, 2007

A Ilha do Céu


Vi meu coração na Ilha do Céu e deixei um pouco do meu amor por lá, só para lembrar a quem ousar ir até lá que vale a pena acreditar e o amor renovar.


Renovei meu amor na beira do penhasco onde nem as gaivotas ousam voar. O frio cortava o meu rosto, mas eu queria olhar os "cliffs escoceses", o penhasco que parecia a terra cortar, para revelar o mar e o meu amor que das pedras como uma cachoeira, não parava de jorrar, no ar, no mar, na terra e em todo lugar.



15 de Fevereiro 2006

Isle of Sky, Scotland

segunda-feira, março 05, 2007

Para a minha Lua


Lua, te observei em todo o seu eclipse

Por um momento vi você se afastando de mim

mas logo percebi que se ocultava

apenas para se mostrar cada vez mais bela


Vi a luz te descobrindo

Não sabia se era meus olhos

mas podia jurar

vi você sorrindo


E fiquei te olhando

Enquanto você falava comigo

baixinho, sussurrando em meu ouvido

poeta, meu anjo da terra

Estarei sempre a sua espera


Não consegui

juro que tentei me afastar

não te olhar

não mais te escrever

Mas é mais forte que mim

Você, minha lua, já faz parte do meu ser


Por isso quando te vi se eclipsar

esconder-se do meu olhar

percebi que logo voltaria

afinal o que seria das minhas poesias

sem minha musa preferida



Ocorreu um erro neste gadget

AmazingCounters.com
Overtons Marine Supply